• OBJETIVOS

    A automedicação é um hábito de muitos brasileiros. No entanto, a ingestão de medicamentos por conta própria, isto é, sem receita médica e orientação profissional, está entre as maiores causas de intoxicações e de mortes no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, nos últimos cinco anos, 60 mil pessoas foram internadas por intoxicação devido a essa prática que pode causar graves problemas, como alergias, lesões hepáticas e renais, choques anafiláticos, doenças e até a morte. Esse era o tema do breifing proposto pelo CFF para a Área.

  • Desafios

    Para a Área, criar uma campanha até poderia resolver, mas a importância do tema pedia algo mais. E o desafio estava lançado.
    Para alertar a população sobre este grave problema de saúde pública, criamos e produzimos uma ação que consistia na distribuição gratuita de um medicamento fictício, o "Dornein". O "medicamento" foi distribuído em um stand montado nas imediações da Avenida Paulista, coração financeiro e cultural de São Paulo. Enquanto o "Dornein" era distribuído, pesquisadores analisavam o comportamento das pessoas e o resultado é assustador: 85% não quis saber a finalidade do medicamento; 99% não perguntou qual era o fabricante e o pior, menos de 1% perguntou sobre as contraindicações.
    No entanto, a ação revelou uma surpresa: dentro de cada embalagem do "medicamento", havia um blister ou cartela, mas sem comprimidos, e no verso dela uma mensagem: "Medicamento é coisa séria. Automedicação é um risco. Antes de usar qualquer medicamento, consulte sempre um farmacêutico".

  • Solução

    O sucesso da ação gerou uma campanha para a qual foram produzidos filme e banner de internet, cartaz A3, outdoor e anúncio de jornal que serão veiculados pelo Conselho Federal de Farmácia em parceria com os Conselhos Regionais nos Estados, tendo como ponto alto o dia 20 de janeiro, Dia do Farmacêutico.
    Foram produzidos 40 mil exemplares do falso medicamento para repetir a ação em outros Estados e alertar a população sobre essa prática que pode provocar graves problemas à saúde.

    A campanha gerou mídia espontânea e foi destaque em reportagem do Jornal Hoje, da TV Globo (http://globoplay.globo.com/v/3089808/), no Jornal da Cultura e no Portal "CMais" da TV Cultura, além de matéria intitulada "Farmacêuticos lançam campanha contra a automedicação" na seção saúde, versão online do jornal O Estado de S.Paulo, entre outros veículos de comunicação.